.posts recentes

. DOENÇAS E PRAGAS

. HIDROCULTURA

. PLANTAS DE BARRICA NO INV...

. DAR FORMA ÀS PLANTAS

. UM TEMA DELICADO: A REGA ...

. O SOLO APROPRIADO

. RECIPIENTES PARA PLANTAS ...

. VASOS, CAIXAS E BARRICAS

. PLANTAS DE VARANDA E DE T...

. PLANTAS NA COZINHA E NO P...

.arquivos

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

Segunda-feira, 23 de Março de 2009

O LUGAR DA JANELA NORTE

   Contra uma opinião generalizada, para a maioria das plantas a forte radiação solar da parte sul não é especialmente benéfica. Existe um grande número de gêneros e classes que precisa de um lugar com luz mais fraca e que se desenvolve magnificamente numa janela voltada para o norte ou num espeço escuro.

 

 

(Até mesmo a Iúca robusta, que na realidade prefere locais mais iluminados, pode fazer sucesso nos cantos mais escuros)

 

   Numa divisão voltada para o norte, há que levar em consideração que os vegetais dispostos no parapeito da janela, na mesa ou na prateleira devem estar voltados diretamente para a janela. Se forem colocados demasiado longe da janela, no meio da divisão, a falta de luz dificulta o seu desenvolvimento saudável, pois é como se fosse praticamente noite. Evidentemente, a janela pela qual irrompe a luz branda e deprimente do norte não deve, em caso algum, ser "escurecida" por cortinados espessos. Os estores e as persianas tornan-se, portanto, desnecessários. Além disso, a pouca luz que apenas penetra nas divisões escuras de manhã ou à tardinha ou que não existe de todo, não deve ser ainda mais reduzida pelo excesso de plantas dispostas no parapeito, sobretudo de plantas altas.Essas podem desenvolver-se bem nesses lugares, mas acabam por escurecer o restante da divisão. A melhor solução será por optar por uma única e elegante planta de flor, pouco exuberante, Esse vegetal deverá necessitar de pouca luz e ser colocado perto da janela numa mesa para flores, num aparador ou numa cômoda elevados a condizer com a restante decoração, Deverá ainda possuir uma beleza de formas que enriqueça não só a janela, mas também toda a divisão.

 

 

( plantas individuais enfeitam a janela norte, permitindo, no entanto, que entre luz suficiente na divisão)

 

   Das inúmeras plantas que se adaptam a lugares em espaços pouco favorecidos pela luz, apenas a Chamaedorea elegans é uma mostra graciosa que adora a luz média e se desenvolve melhor em lugares um pouco elevados, em cima de uma mesa pra flores ou de um pilar, desviada da janela; de resto não deve estar exposta ao ar demasiadamente seco.

   Se espaço pouco claro for suficientemente grande, deixe que as costelas-de-adão desdobre as suas folhas imponemtes, profundadas e recortadas, Em todo caso essa planta no verão deve ser borrifada com mais frequência, pode atingir mais de 5 metros de altura. Se estiver a braços com um exemplar tão impetuoso como este, o mobiliário próxima da planta deve ser o mais simples possível, para que esta possa jogar totalmente com todo com todo o seu encanto de forma e estrutura.

   É sem grandes exigências de luz e claridade que a diefenbáquia desenvolve as sua graciosas foolhas. As espécies verdes sentem uma menor necessidade de luz do que as espécies brancas, Esta planta consegue desenvolver-se bem mesmo ao fundo de uma divisão. De fato, ela não aprecia o aquecimento e, por isso, deve ser borrifada regularmente.

   Com alguma sorte, esta planta pode até dar flor. As folhas vigorosas e ensiformes da língua-de-sogra, exibindo um rigor nas formas, combinam perfeitamente numa sala de estar moderna, sobretudo se a planta estiver colocada num vaso ornamental interessante. É uma planta previsilmente simples e também cresce no interior. Não é sensível ao ar seco, tem que ser regada com moderação e não sofre com a falta de luz, apesar de preferir locais luminosos.

 

 

(Mesmo colocadas em lugares que oferecem  as piores condições de luz, determinadas plantas conseguem desenvolver-se bem quando são cuidadosamente tratadas)

 

 

( Observar a forma como a "juventude" se propaga é sempre um acontecimentopara os apreciadores de plantas. As plântulas que brotam das folhas limitam-se a cair)

 

   Quem também deseja ter plantas ornamentais em divisões pouco favorecidas pela luz do dia, pode aproveitar ainda uma outra dimensão e optar por trepadeiras ou plantas pendentes. Quando o seu verde dá vida à divisão a partir dos seus locais elevados_ quer seja em cima de um cesto suspenso, de um pilar, de uma borda ou de uma estante_ elas revelam uma aparência magnífica. É o caso , por exemplo da falsa hera da Cidade do Cabo, que desenvolve um exuberante aparato de folhas e que também se desenvolve nos cantos com luz média. Estas condições aplicam-se igualmente à popular Epipremnum pinnatum. Uma bpn-vivant com uma personalidade especial, a hera possui pequenas formas que se contentam com cantos relativamente escuros, sobretudo tratando-se das variedades verdes. Com efeito, no inverno a temperatura não deverá ser demasiado elevada; a hera já não suporta temperaturas superiores a 15º_ 16º C. Coloque-a no corredor ou no vão da escada. Uma outra manifestação graciosa, também vista de baixo é o clorófito, com suas folhas abundantes às riscas verdes e brancas e flores elegantes. O clorófito também se desenvolve sem problemas longe da janela, propagando-se facilmente através dos lançamentos laterais.

 

 

( espadas-de-são-jorge e a falsa hera australiana resultam melho num lugar um pouco elevado, de onde possam deixar pender os seus vistosos rebentos à vontade)

 

 

   Entre as plantas de folha que suportam a luz fraca, encontra-se a juventude, ma planta singular que produz um efeito particularmente interessante num cesto suspenso. Também conhecida como "galinha com pintainhos", ela gera a sua descendência diretamente a partir das folhas. As plântulas simplesmente deixam-se cair assim que atingem a fase de maturação. É uma planta que necessita de muito ar fresco. No inverno, prefere um ambiente frio, e por isso deve ser levada para o vão da escada.

   Alguns fetos produzem um efeito singular em locais elevados. De fato, o fet-chifres-de-veado, com suas folhas bizarras, não deve estar muito afastado de uma fonte de luz, enquanto que o Polypodium vulgare, apesar de se contentar com pouca luz, também se sente melhor num local meio fresco durante o inverno 10º_12ºC, como é também o caso da Phyllitis scolopendrium.

   Entre as plantas ornamentais com inflorescência, existem algumas cujo corpo dde flores se desdobra até mesmo em locais com pouca claridade. Além da popular violeta-africana, que também floresce abundantemente na mesa de jantar ou num aparador, existe o encantador gênero ophiopogon; essa lilácea ostenta não só folhas longas e semelhantes à erva como, no verão decorativas flores em cachos pendentes.

   As plantas de folhagem verde adaptam-se melhor a espaços com pouca claridade do que as plantas com folhas claras, que têm de ser borrifadas com mais frequência. O gênero ophiopogon deve passar o inverno numa divisão não aquecida.

   Do corpo de folhas exuberante da velas-brancas, mesmo quando colocada a 2 ou 3 metros de distância da janela, surgem as enormes espatas brancas semelhantes a flores. Num local mais elevado, a planta, que se adapta melhor à hidrocultura, tem uma aparência bastante decorativa.

 

 

 

( É possível colocar plantas mesmo em divisões onde seria  necessário proteger a janela através de persianas ou estores )

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


publicado por Mel às 18:22

link do post | comentar | favorito

Sábado, 21 de Março de 2009

O LUGAR DA JANELA ESTE E OESTE

 

   Tanto a parte  este quanto a parte oeta da casa constituem os lares mais apropriados para as plantas ornamentais, mais do que a parte sul, que apresenta uma incidência de luz solar extremamente elevada. Nestes locais, as plantas recebem luz abundante de manhã  à noite sem terem que suportar o sol abrasador durante várias horas do dia.

 

 

( A marca típica de um local na janela a este ou a oeste é a claridade e não a luz solar total: a esta luz, apenas a Ficus benjamina não se dá bem)

 

   A janela a este revela-se particularmente favorável. Este é o lugar perfeito para as plantas que gostam de locais com claridade, mas pouca luz solar. Por outro lado, as plantas que suportam a luz média também se sentem bem aki. e entre as plantas ornamentais, até mesmo as filhas do sol suportam este local. De manhã e à tarde o sol que incide sobre a parte este da casajá não é tão forte a ponto de ser necessária uma proteção; proporciona apenas a luz e o calor necessários para permitir que o crescimento das plantas e o desenvolvimento salutar das flores se processe de forma ininterrúpida.

 

(o dragoeiro faz parte das plantas para as quais as condições de luz das divisões a este e a oeste são perfeitas)

 

   O número de plantas  adequadas para as janelas este e oeste é abundante; não só a espermania da avó, que se espreguiça agradavelmente sob o domínio da luz solar, mais também o dragoeiro singular se desenvolve aqui muito bem. O papiro e a Ficus benjamina sentem-se igualmente bem, tal como muitas plantas de flor, como por exemplo violetas-africanas, alegrias-da-casa, gloxínias ou violeta-dos-alpes. Finalmente, também a maioria das orquídeas são favorecidas com um lugar na janela este ou oeste. naturalmente o suprimento das plantas como água suficiente e não em demasia deve ser assegurado de acordo com cada estação do ano. Mesmo quando a umidade do ar é suficiente, há que ter em consideração o calor do Verão e o aquecimento no inverno.

   Se a janela não se situar exatamente a este ou a oeste e se estiver voltada mais para nordeste ou para noroeste, será conveniente será conveniente decorar o parapeito da janela com plantas que, no seu habitat natural, crescem em florestas tropicais. São plantas que precisam especialmente de calor, mas que têm uma necessidade de luz e sol muito reduzida. Deste tipo de plantas fazem parte as Soleirolia soleirolii e os clorófitos, o popular filodendro e as Schefflera, bem como várias e´spécie de fetos; de entre as plantas de flor, contam-se as plantas- flamingos, as prímulas e as begônias.

 

 

( Para determinar o local perfeito para as plantas, vale a pena experimentar colocá-las em mesas ou pilares para plantas. desta forma, é possível ajustar a claridade de forma exata)

 

 


publicado por Mel às 21:55

link do post | comentar | favorito

Sábado, 14 de Março de 2009

O LOCAL CERTO

 

 

A JANELA SUL

 

 

 

 

Quem cuida de plantas ornamentais, certamente já sofreu algumas decepções com esta e aquela protegida de cor verde. Por  vezes, uma planta inicialmente saudável e decorativa desfalece sem que seja notada, vê as suas folhas tristemente penduradas até que acaba por definhar, simplesmente por lhe ter sido reservado um lugar errado dentro de casa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                         

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 (quem tem uma fachada de janela ampla, pode oferecer às suas plantas desde condições de luz com muita claridade, na janela, até à luz média, um pouco mais longe da janela,tudo isto numa única divisão.)

 

Os cuidados que temos para com as plantas ornamentais só valem a pena se estas forem colocadas num local em que as condições correspondam às  do seu habitat. Naturalmente, para a maior parte das plantas de folha e, sobretudo, das plantas de flor, a janela é o local preferido. Porém, muitas plantas também se dão bem se estiverem um poço mais afastadas

da janela. As plantas que se adaptam aos locais com luz média ou com luz muito fraca, podem ser melhor tratadas quando colocadas numa estante, em cima da mesa, ou numa mesa reservada especialmente para flores. O fato de as necessidades das plantas ornamentais serem tão diversificada no que diz respeito a luz, a temperatura e humidade, torna possível acomodar adequadamente estas companhias verdes em quase todas as divisões da casas.

   Normalmente, preferimos os espaços virados para sul, o ponto cardeal de onde vem mais luz e os raios de sol mais quentes, o que não é necessariamente benefício para adornos de interiores verdes e floridos. Uma janela virada para o sul apenas oferecem condições ótimas para um crescimento saudável às habitantes do deserto e a algumas amantes do sol à prova de calor. Mas mesmo nestes casos, uma luz mais fraca durante as horas mais quentes dos dias de verão é bem mais favorável do que o sol abrasador do meio-dia. No inverno algumas plantas suculentas que suportam bem o calor necessitam de um lugar claro, mas fresco. É ocaso da maior parte dos cactos-orquídea, como por exemplo o popular cacto-de-natal. De entre as estelas de plantas adequadas à janela sul soalheira, contam-se não só as Pacypodium, com sua folhagem decorativa profusa, mas também a rosa-do-deserto, que anseia pelo máximo de calor e luz solar, não esquecendo ainda os vários tipos de eufórbias. Os agaves, os alões e a folha da fortuna de folhas carnosas suportam igualmente bem o calor da janela ao sul soalheira.

 

 

 

 ( A folha-da-fortuna gosta de estar na janela sul. As suas flores pequena e graciosa cobrem um vasto espectro de cores.)

 

 

 

 

   Contudo, também as plantas de flores exuberantes, como a espetacular  alamanda, com suas flores campanuladas amarelas e brilhantes, se sentem totalmente satisfeitas com um lugar ao sol. A corações-desfeitos de folhas carnosas, cujo os rebentos decorativos pendem de cima de um cesto suspenso ou de qualquer outro lugar elevadocomo se fossem cortinados, é uma apreciadora do sol particularmente singular. Algumas buganvílias também se sentem bem na janela ao sul.

 

  

 

 

 

(As combinações invulgares da janela suscitam imediantamente olhares indiscretos: aqui podem ver-se buganvílias e rosas-da-china ao lado de alecrins e salvas)

 

 

 

 


publicado por Mel às 21:59

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 13 de Março de 2009

VIVER NUM AMBIENTE DE PAZ

 

 O Significado das plantas

 

   Desde há muito tempo que o ser humano procura introduzir no seu ambiente mais próximo;este desejo não se faz sentir na estação quente do ano, o período de vegetação das plantas de casa. A introdução de plantas oriundas de regiões mais quentes do nsso planeta e a construção de estufas, jardins de inverno e estufas de laranjeiras tornou possível a ealização desse desejo. mesmo as nossas próprias casas se afirmam como local de permanência para as plantas. Graças à nossa dedicação de cultivadores e aos nossos talentosnhortícolas, fomos preseteados com uma enorme abundância de plantas que se desenvolvem em condições totalmente diferentes nos nossos aprtamentos e moradias.

 

( Das mais belas culturas de varanda fazem parte, como sempre, uma combinação de heras, pelargónios e petúnias de cores vivas)

 

 

 

   As plantas são elementos expressivos do ambiente mais íntimo de uma pessoa. Numa divisão, uma planta não é nenhuma peça de mobiliário que afirma imutavelmente o seu lugar,  nem está associada a noções normativas específicas de uma decoração de interior.

 

 

 

`(É possível decorar qualquer divisão da casa exclusivamente com plantas. O abdicar de plantas de flor coloridas em determinados locaiscausa um efeito extremamente tranquilizante)

 

   Pelo contrário, a planta dá origem a um pedaço de individualidade, confere uma espécie d dinâmicabao ambiente quase estático de uma casa. Ela cresce, transforma-se e confere uma outra aparência à divisão em que se encontra. Ela vive e, por isso, dá vida a tudo em  seu redor.

   Além disso,bas suas exigências são diferentes das de uma estante ou uma cômoda, pois não se contenta apenas com tratamentos;a planta deseja também proteção e preocupação. Ao contrário dos seres humanos e dos animais, a planta permanece em seu lugar apararente inerte e não se impõe;apesar de todas as atividades que se desenrolam nos seus órgãos, espalhando uma tranquilidade reconfortante.

   As cores influenciam o estado dos seres humanos;desde há muito tempo que os criadores profissionais de interiores se aproveitamdeesta capacidade. A cor verde exerce um efeito tranquilizante, espalha uma sensação de agradável frescura e revela um ambiente um ambiente rodeado de vida. O verde estival possui um efeito especialmente sugestivo, estimulando todo tipo de atividades; ao contrário, o verde típico do inverno causa acalmia e tranquilidade.

   Há muito que as plantas deixaram de se confinar apenas às nossas sala de estar, expalhando-se por toda a casa. É possível encontrar plantas ornamentais ou plantas de barrica em todo lado, desde o quarto, a sala de jantar, a casa de banho até, naturalmente, à varanda e ao terraço. No inverno a maior parte das plantas que nesta época do ano prefere o frio, sente-se melhor no vão da escada ou no corredor sem aquecimento. Há muito que as planas não são apenas dispostas nas janelas, elas enchem a divisão de cor, estrutura, perfume e vida.

 

 

 

 ( Com uma pequena quantidade de palntas e alguns acessórios selecionados, é possível criar uma atmosfera encantadora. o lugar d´para sonhar também é capaz de nos raptar para terras prediletas)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


publicado por Mel às 20:17

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.relógio

. visitas


contador de visitas

.Bipolaridade

http://odiaadiadabipolaridade.blogs.sapo.pt/

.Dicas para donas de casa

http://donadacasa.blogs.sapo.pt/

.Coisas de gatos

http://minhasgatas.blogs.sapo.pt/

.Aquários e peixes

http://terapiadaaquarofilia.blogs.sapo.pt/

.Artesanato

http://vamosfazerarrte.blogs.sapo.pt/